É A INOVAÇÃO A CHAVE PARA A CRISE?

Pode ser. Mas vai ser difícil...
Mas... se existe crise o mais certo é ela continuar se continuarmos a fazer o que temos feito. Daqui sai que a INOVAÇÃO é uma das vias de saída da crise:Inovação, em produtos, processos, tecnologia ou comunicação.
So far so good. A grande questão é que o "dia a dia" das organizações tende a "matar" um espírito inovador. A cultura do "team work" em ambiente empresarial tem vindo a favorecer um ambiente de aglutinação à volta de ideias, prejudicando o aparecimento do "contaditório".
A própria "crise" inibe um ambiente propício à inovação. Os colaboradores acham mais fácil manter os seus empregos numa postura concordata, logo menos disruptiva e inovadora... A vida em sociedade, promove o politicamente correcto... uma vez mais inibindo postura e ideias inovadores.
Neste contexto cabe aos líderes promover e desenvolver o YOU FACTOR: identificar dentro das organizações os colaboradores capazes de desafiar o "status quo" e desenvolver conceitos inovadores.

3 comentários:

iuCool disse...

As politicas legisladas pelo sistema têm sem dúvida conseguido o feito "defeito" de eliminar o que era antes uma forte alavanca do país... o pequeno empresário!

Noutros tempos, quando um trabalhador entrava no mercado de trabalho a laborar por conta de outrem, existia sem dúvida o sonho já pré-delineado de que a meta seria instalar o seu próprio negócio e daí obter o sucesso e a realização profissional. Porque para o Português desses tempos, trabalhar uma vida inteira por conta de um patrão, dependendo da profissão exercida, poderia ser sinónimo de frustração, confesso que no meu ponto de pensar, esse era um factor muito forte para a produtividade portuguesa.

gutograca disse...

Margarida, o Tonybee comentava que a padronização é uma marca das sociedades decadentes.
O que isto tem com o marketing nosso de cada dia? Bem, as inovações, não demandam apenas riscos e oportunidades, elas demandam sobretudo coragem.
Vejo em empresas aonde o projeto sensacional, dá lugar ao projeto "certinho".Ganha a covardia e a mesmice. A conspiração em nome da mediocridade. É um tal de empresa com medo de perder a conta, gerente de marketing com medo de ser demitido e diretor com medo da reunião de acionistas...Mas a gente que gosta de inovação, continua acreditando em fazer as coisas de uma forma diferente vencendo a espiral do medo que ronda a nossa sociedade.

João disse...

O dedo (não, a faca...) na ferida!

O clima de medo e insegurança que se vive nas empresas coibe a inovação.

É mais alte fazer "eco" da voz do chefe, dizer aquilo que se sabe (ou acha...) que o chefe quer ouvir. Pensar fora da caixa? Isso é para CORAJOSOS! Onde estão?