CROUDFOUNDING - de startups a casamentos viabilizados online (Brasil)

Este conceito não é absolutamente novo. 
É uma lógica de Microcrédito para viabilização  de pequenos negócios. 
Uma das minhas amigas do TST e Facebook é,  dinamizadora do projecto KIVA, uma organização que possibilita a qualquer um de nós ajudar ou ser um dos que ajuda a viabilizar um projecto.
A Exame brasileira num artigo sobre este tema apresenta várias plataformas online que vão de estruturas de apoio a startups a acções de crowdfound para financiar desde a publicação de livros a casamentos... :) Haja imaginação!
Para além da ironia de algumas das abordagens e o impacto positivo de outras (quando uma iniciativa individual avança, toda a sociedade avança...) este fenómeno faz sobressair uma tendência que se julgava cristalizada - a da cooperação e interajuda! 
Numa sociedade muito individualista é interessante ver a contra-tendência a essa característica sob a forma de solidariedade social, para já, e neste contexto, assente sobretudo em pessoas, como cada um de nós... mas com potencial para evoluir quando as empresas perceberem que podem ter aqui um papel muito importante.
As políticas de responsabilidade social perdem-se entre o quase nada e o brincar à caridadezinha. Em países emergentes ou em crise esta solução de cooperação entre a comunidade e as empresas pode ser uma forma sustentável de fazer evoluir a economia.
O velho Marketing já era... e pergunto-me se as empresas não deveriam estar atentas a estas pequenas iniciativas a que podemos chamar start ups que de alguma forma se poderiam encaixar nos seus processos integrados - de fornecedores aos clientes, com as vantagens decorrentes de externalizar actividades que não sejam "core" do negócio.

2 comentários:

neigrando disse...

Penso e sinto que inovar e empreender é uma paixão, é mais fazer do que falar, é mais agir do que pensar.

Gostei do artigo, do apoio ao Empreendedorismo e aos que pretendem montar um negócio próprio.

Postei um artigo com o título: O Empreeendedor, o Administrador e o Técnico que fala do equilíbrio necessários entres estes papéis desempenhados pelos donos de novos negócios (pequenas empresas) o qual compatilho aqui: http://wp.me/pMSqs-1V no final do artigo tem links para dois vídeos do evento Campus Party, Mapas Mentais, e dicas de livros.

Att.

Nei Grando (@neigrando)

Margarida Pedroso Ferreira disse...

Obrigada pelo seu comentário, e pelos links e info que acrescentou.

Concordo com o seu pensamento inicial. Dantes o "Segredo era a alma do negócio". Hoje "A Alma é o segredo do negócio".
Contudo hoje a mudança é muito rápida, não basta paixão, é preciso cavalgar a onda e antecipar tendências, identificar os nichos de oportunidades que se tornarão negócios rentáveis.
Os empreendedores de hoje devem começar a criar aquelas Marcas e aqueles conceitos "especiais" porque de futuro só haverá marcas de que poucos gostam muito. Tudo o resto serão apenas "commodities"...