DELTA CAFÉS - O CONCEITO DE "VALOR PARTILHADO"

Hoje vi na RTN mais um pequeno documentário sobre a personalidade de Rui Nabeiro.
Gostei, como sempre.
Ouvi-lo falar traz-me sempre à cabeça palavras como: sonho, visão, autenticidade, noção do real...

Num mundo trazido para uma crise galopante por uma "anti-economia" assente na especulação financeira, Rui Nabeiro é, para mim, uma das encarnações do que me parece o retorno à Lei Natural: uma economia sustentável de valor partilhado que garante a perenidade do negócio.

Como comentário à crise e suportada pela lógica "natural" Nabeiro conclui que se uma família de 4 pode prescindir do ordenado de 1 elemento que fica desempregado.... também o empresário habituado a ganhar 5 pode continuar retendo apenas 3. Despedir pessoas, reduzir salários, apenas agrava a questão - a solução é ganhar mais... E isso só se consegue com o empenho de todos.

Acho interessante como, assumindo-se, ainda hoje aos 80 anos, como líder, não perca a visão de onde veio e como aqui chegou.
Como tem clara a noção do valor partilhado com os funcionários e com a comunidade de Campo Maior (e até mesmo a escalas maiores como foi o caso de Timor...).
Exemplo disso é o Centro Educativo, projecto da sua mulher, e que acolhe não só os filhos dos funcionários da Delta, como também de outros residentes em Campo Maior - no documentário aparecia a assistir a um teatrinho feito pelos pequenotes....

O aroma do café é o sonho de felicidade que o impulsionou e liderou e partilhou com a empresa e com a região.

Este conceito de "Shared Value" vem agora também a ser defendido por grandes gurus mundiais como Michael Porter, por exemplo neste artigo da HBR: The big idea: creating SHARED VALUE
.

1 comentário:

Maria disse...

Afinal Portugal nem sempre está atrasado. Talvez afinal a culpa seja de uma pseudo elite financeira instalada que nos puxa para baixo numa espiral destruidora que não produz e só especula... e baixa a cabeça à alta finança internacional!