O ACORDO ORTOGRÁFICO E A ORIENTAÇÃO PARA A MUDANÇA

Há recordações que guardamos sem sabermos porquê.
Lembro-me de ser muito pequena e por uma qualquer razão ter presenciado uma conversa entre a minha avó e um grupo de "raparigas da mocidade dela" :).

Foto: Sandra Silva Pinto / Arquivo JPN
O tema era o acordo ortográfico. 
O de 1945. 
Esta conversa deve ter decorrido no final dos anos 60, ou início dos anos 70. 
Uma vez que a linha do tempo é para a frente, a minha avó espantava-se de ser a única a ter claramente ultrapassado essa fase, ter aderido, de resto, ao inevitável... e surpreendia-se com alguma impaciência com uma discussão com 25 ou 30 anos.

Deduzo que a orientação para a mudança é uma "coisa de família"...


Deixo aqui duas boas ferramentas para a transição:


1. Conversor do Acordo ortográfico, da Porto Editora.
2. Guia prático da Nova Ortografia, com um resumo das principais alterações.




1 comentário:

Maria disse...

Sempre á frente! Enquanto toda a gente crítica tu mobilizas para a adesão! Gosto